Migração do Terremoto

Oi, pessoal! Como vocês já perceberam, estou migrando o Terremoto para uma nova plataforma e modificando o conceito do site (na realidade, voltando a ser o que era originalmente, um banco de dados de livros e outras recomendações sobre finanças pessoais).

Estou ainda mexendo bastante e assim que estiver tudo funcionando 100% como que quero, eu avisarei a todos.

Obrigado pela compreensão!

Sete novas resenhas no ar!

Oi pessoal,

Nos últimos dias postei sete novas resenhas de livros sobre educação financeira:

Temos agora um total de 134 livros em nosso banco de dados. Divirtam-se!

Abraços,
Gabriel Torres

Operando Opções – Maurício Hissa (Bastter)

Operando OpçõesMaurício Hissa, dono do site http://www.bastter.com, é considerado um especialista em opções e um dos maiores divulgadores de educação financeira para o pequeno investidor, em particular àqueles que querem investir na bolsa de valores.

Ele têm uma série de três livros sobre opções: Introdução às Opções, Investindo em Opções e Operando Opções. Eles são de nível iniciante, intermediário e avançado, respectivamente. Acredito que teria sido melhor ele ter lançado os livros com o mesmo nome e ter colocado “Volume I”, “Volume II” e “Volume III” ou então “Iniciante”, “Intermediário” e “Avançado”. Isso facilitaria muito ao leitor saber qual é exatamente a diferença entre os três livros, especialmente aqueles que compram livros pela internet.

O terceiro volume da série é recomendado àqueles que já dominam a metodologia de venda coberta, proposta no volume anterior, e querem se aprofundar no estudo de opções e pretendem operar opções de forma ativa e com segurança.

Aqui “segurança” é a palavra chave, visto que operar opções sem o conhecimento adequado é uma forma certa de perder todo o seu patrimônio.

O livro é mais bem escrito que o livro anterior e certamente agradará leitores que já tem experiência com opções e querem se aprofundar. Uma obra de consulta para ser lida e relida.

Conclusão Final: Recomendado

Ficha Técnica

Título: Operando Opções
Autores: Maurício Hissa (Bastter)
Editora: Elsevier
Número de Páginas: 198
Ano de Lançamento: 2010
Link para comprar

Investindo em Opções – Maurício Hissa (Bastter)

Investindo em OpçõesMaurício Hissa, dono do site http://www.bastter.com, é considerado um especialista em opções e um dos maiores divulgadores de educação financeira para o pequeno investidor, em particular àqueles que querem investir na bolsa de valores.

Ele têm uma série de três livros sobre opções: Introdução às Opções, Investindo em Opções e Operando Opções. Eles são de nível iniciante, intermediário e avançado, respectivamente. Acredito que teria sido melhor ele ter lançado os livros com o mesmo nome e ter colocado “Volume I”, “Volume II” e “Volume III” ou então “Iniciante”, “Intermediário” e “Avançado”. Isso facilitaria muito ao leitor saber qual é exatamente a diferença entre os três livros, especialmente aqueles que compram livros pela internet.

As partes 2 e 3 do livro Investindo em Opções são extremamente maçantes e de difícil compreensão.

O ponto alto do livro, porém, é a parte 4 e por conta dela vale a pena comprar o livro. Nela, Bastter apresenta um método vencedor para o pequeno investidor ganhar dinheiro com ações e opções.

Com ações, o investidor deve comprar papéis “blue chips”, de empresas sólidas, com bons fundamentos e que sejam bem administradas. Isso é fácil de localizar graças às tabelas existentes no site do autor. Basta localizar a empresa que você deseja investir e verificar se a empresa dá lucro, se as dívidas da empresa não são muito altas, etc. Nesse método, chamado “buy and hold”, você deve comprar as ações e “esquecer”, não dando muita bola para a cotação atual do papel; o importante é comprar sempre, preferencialmente todo mês, destinando uma parte do salário para isso.

Esse conselho está disponível em vários outros lugares. O “pulo do gato” da metodologia do autor é a venda coberta de opções. Através de uma metodologia própria, que é explicada no livro (onde consultamos tabelas presentes no site Bastter.com), o investidor vende opções das ações que ele possui e depois recompra essas opções por preço mais baixo, embolsando a diferença. Esse ganho deve ser usado para comprar mais ações, aumentando a carteira de ações do investidor. Dividendos e outros ganhos com ações devem ser também usados para comprar mais ações.

É uma metodologia simples e bastante eficaz graças a existência das tabelas no site do autor, fazendo com que você não precise perder tempo pesquisando, fazendo contas ou análises; está tudo prontinho para você. Outra vantagem é que se você abrir uma conta em uma corretora parceira do site, há a integração da metodologia do Bastter no home broker da corretora, onde você pode configurar a operação de maneira praticamente automatizada. Agilizando ainda mais essa operação de venda coberta.

Conclusão Final: Recomendado

Ficha Técnica

Título: Investindo em Opções
Autores: Maurício Hissa (Bastter)
Editora: Elsevier
Número de Páginas: 198
Ano de Lançamento: 2010
Link para comprar

Ascensão e Queda do Império X – Sergio Leo

Ascensão e Queda do Império XLivro bastante oportuno sobre a derrocada daquele que já foi o homem mais rico do Brasil. O livro é muito interessante, pois mostra que Eike Batista é um megalomaníaco movido apenas por vaidade, sendo justamente isso que quebrou o seu império.

Ele era um péssimo administrador, sem qualquer histórico de sucesso na gestão de empresas de grande porte (o livro conta em detalhes o passado de Eike, que, igualmente ao que ocorria em suas empresas X, foi divulgado de forma muito exagerada), mantendo uma relação incestuosa entre suas empresas, movendo ativos de uma empresa para a outra quando “dava na telha”, prejudicando seus sócios minoritários. Entre outras péssimas ideias, como dar direito a ações nas empresas a executivos sem qualquer contrapartida, como desempenho. Essa péssima governança corporativa de Eike Batista fica ainda mais gritante com a leitura do livro “Sonho Grande”, que conta o estilo de Jorge Paulo Lemmann, Marcel Telles e Beto Sicupira, que amarram participação na sociedade a desempenho, fazem o estilo “low profile” (o oposto de Eike) e têm um longo histórico de boa administração e sucesso.

O grande problema era anunciar de forma exagerada notícias positivas, não noticiar notícias negativas (ou então noticiá-las sem qualquer destaque) e não noticiar com destaque que o investimento em ações do grupo X eram investimentos de alto risco. Isso seu margem a um processo conhecido em inglês como “pump and dump”, que é criar uma histeria que eleva o preço das ações para depois vendê-las no topo, o que foi feito pelos executivos das empresas X.

Um excelente artigo da revista Exame 1061 de 19/03/2014, chamado “A história secreta dos milionários de Eike” começa onde o livro termina, mostrando que os executivos das empresas X pegaram as suas ações assim que deram e venderam tudo, todos se tornando multimilionários da noite para o dia. A conclusão do artigo é que com tanta grana no bolso, os executivos perderam a motivação para tocar as empresas do grupo X, visto que Eike achava, incorretamente, que todos eram movidos a vaidade e que queriam ser bilionários como ele. Excelente leitura para emendar em seguida.

A notícia de hoje (02/04/2014) é que a antiga OGX conseguiu a façanha de quebrar o recorde de ser a empresa listada em bolsa com o maior prejuízo desde 1986 (17,4 bilhões de reais).

Quanto aos acionistas minoritários, a pessoa física que investiu nas empresas X, fica uma lição. Não se deve investir em empresas pré-operacionais, que são investimentos de alto risco voltados para diversificação de carteiras de investidores qualificados e, mesmo assim, deve-se alocar apenas uma pequena parcela da carteira nesse tipo de investimento. O problema é que o pessoal saiu investindo tudo o que tinha em ações do grupo X achando que estavam investindo em Petrobras. Posto abaixo dois excelentes vídeos falando sobre isso.

Com certeza essa livro e essas informações adicionais que publiquei nesta resenha aumentarão sua educação financeira, fazendo você querer pesquisar a fundo antes de investir em uma empresa sem histórico de operações e que só porque uma pessoa se veste bem, é bom de papo e opera um grupo de empresas avaliado em bilhões de dólares, não significa que ele saiba o que está falando e fazendo.

Conclusão Final: Recomendado

Ficha Técnica

Título: Ascensão e Queda do Império X
Autores: Sergio Leo
Editora: Nova Fronteira
Número de Páginas: 264
Ano de Lançamento: 2014
Link para comprar

Como fazer uma empresa dar certo em um país incerto – Instituto Empreender Endeavor

Como fazer uma empresa dar certo em um país incertoLivro muito bacana contando as histórias de sucesso e fracasso de diversos empreendedores brasileiros, com muitas dicas úteis a empresários de todos os níveis de experiência e de todos os portes. Altamente recomendado!

Cada capítulo traz um tema, onde são expostas várias histórias, e ao final há um resumo e várias dicas para você se tornar um empreendedor de sucesso. Os temas são: colocando o barco na água; dinheiro não se ganha, dinheiro se faz; quem não mede não gere, morre; gente é o maior ativo; quem não se comunica, se trumbica; dores do crescimento; armadilhas legais; vendas; erros, fim e falência.

Os textos são escritos pela a equipe do Instituto Empreender Endeavor, o que torna o texto de certa forma uniforme.

O único ponto negativo é que eu descobri esse livro só agora em 2014, sendo que ele foi publicado em 2005. Mas, mesmo assim, impossível não tirar proveito das dicas e histórias.

Conclusão Final: Recomendado

Ficha Técnica

Título: Como fazer uma empresa dar certo em um país incerto
Autores: Instituto Empreender Endeavor
Editora: Elsevier
Número de Páginas: 432
Ano de Lançamento: 2005
Link para comprar

Vaudeville – Ricardo Amaral

Vaudeville - Ricardo AmaralVaudeville é o livro de memórias de Ricardo Amaral, dono de inúmeras casas noturnas, restaurantes e diversos outros empreendimentos no Rio de Janeiro, São Paulo, Paris e Nova Iorque. Comprei esse livro para ver se ele trazia dicas de empreendedorismo e como o megaempresário conseguia tocar e gerenciar tantos negócios ao mesmo tempo. As dicas são resumidas nas conclusões do livro, páginas 448, 449 e 450, que reproduzo de forma resumida abaixo:

“Cheguei à conclusão de que a arte de proporcionar momentos de prazer é algo nato, trabalhoso e extremamente perigoso. Não se aprende na escola, nem mesmo nas faculdades de marketing ou de hotelaria. Claro que amoldar esse dom com modernas técnicas é extremamente salutar. Mas, se esse desejo não vem de dentro, não adianta nem tentar. E deve-se estar preparado para tudo.

“Eu conheço inúmeras mulheres fiéis; homens, alguns. Mas o público não é nada fiel. A fidelidade do público é zero. Mesmo que as pessoas digam que adoram o lugar, é só até abrir o próximo um pouco mais atraente. (…)

“Provavelmente o maior erro de um proprietário de restaurante ou casa noturna é tentar conquistar seus clientes pelo recurso da boca-livre. Muitas vezes o dono do lugar acredita que oferecer drinques e jantares é uma maneira de fidelizar o cliente, mas é justamente o oposto. É a mais perfeita receita do insucesso. Passa algo estranho pela cabeça dos consumidores que faz com que eles não queiram pagar por algo que já tiveram de graça. Preferem, ao contrário, pagar em outro lugar. (…)

“Por que tanta gente tem vontade de abrir um restaurante, um bar, uma casa noturna? Certamente não é para fazer fortuna, ao contrário, os riscos nunca são compatíveis com os ganhos. Nunca! Caso a opção seja simplesmente investir, piorou ainda mais. Deixar um local em mãos de gerentes, mesmo competentes, geralmente é catastrófico. (…)

“Veja o exemplo de Nova York, onde o turn over de restaurantes é o maior do mundo. Os registros indica, que no ano de 2009 foram 247 locais abertos contra 183 fechados. Cada dia abrem mais e fecham menos, contudo o público consumidor não se multiplica na mesma velocidade. Outro dado também curioso é que somente 27 dos 200 restaurantes mais cotados foram abertos há mais de dez anos. Onde está a tradição?

“(…) Mesmo que tudo dê certo, você consiga a tão almejada lucratividade de 20% (nunca mais do que isso) sobre o movimento, há um custo a pagar: você virou escravo do seu negócio!

“Na noite é igualzinho. Afirmo que, como na medicina, essa atividade é realmente um sacerdócio! Escravizante! Porém, fascinante, senão não atrairia tanta gente. Parece um pouco como o casamento: tem sempre muita gente querendo sair, mas muito mais gente querendo entrar! Mesmo sendo o pior negócio do mundo!”

Para aqueles que, como eu, estavam procurando dicas, esse é o único trecho que se salva do livro, e assim você pode economizar seu tempo e dinheiro. Há vários problemas sérios com essa bíblia de 500 páginas, que poderiam ter sido facilmente resolvidos se o autor tivesse contratado um editor para revisar, organizar e adicionar notas de pé de página. Sinceramente, uma personalidade como o Ricardo Amaral merecia um livro muito melhor:

  • Há inúmeros erros de português e inglês.
  • O autor abusa de dois chavões: “Pano rápido!” (para fechar uma história embaraçosa) e “eu entubei” (que continuo sem entender a origem).
  • Há citações em francês sem tradução para o português (o autor assume que os leitores entendem francês).
  • O autor cita inúmeras personalidades, atores e atrizes sem qualquer referência, assumindo que o leitor as conheçam.
  • O livro não segue uma ordem cronológica e/ou lógica e é mal organizado.
  • Não há referência de datas para a maioria das histórias, e com isso dá-se a impressão que todos os empreendimentos do autor ocorreram ao mesmo tempo, enquanto que o livro retrata um período de 50 anos. Faltou um infográfico com uma linha do tempo no início do livro.
  • Muitas histórias são repetidas várias vezes no livro.
  • Raramente o autor fala de cifras. O caso mais emblemático é o da rede de lanchonetes Rick, que ele diz apenas que não deu certo pela maxidesvalorização do cruzeiro no início da década de 1970, sem explicar o motivo exato de isso ter afetado o negócio dele (ele menciona ter dívidas em dólar, mas não explica quais seriam e porque tomou dívida – se o cara é rico, porque se endividou?). Mais adiante no livro há um clipping da época que diz que o Ricardo Amaral perdeu tudo o que tinha nessa história, incluindo sua residência, fato que ele não menciona.

O que eu pude inferir é que ele teve muitos negócios e a maioria deu prejuízo, mas os que deram lucro foram tão bem sucedidos que cobriram o prejuízo dos maus negócios. Muitos negócios também ele montou e depois que estava andando, ele vendeu, como foi o caso da RenTV (empresa de aluguel de televisores), dos hotéis Caesar Park e do Metropolitan (ATL Hall/Claro Hall).

Há muito mais coisa que pode ser dita sobre o Ricardo Amaral e sobre seus inúmeros negócios, porém empreendedores não encontrarão nesse livro informações úteis.

Conclusão Final: Não Recomendado

Ficha Técnica

Título: Vaudeville
Autores: Ricardo Amaral
Editora: Leya
Número de Páginas: 488
Ano de Lançamento: 2010
Link para comprar

Lucrando com os Tubarões – Newton Linchen e Tarcísio Peres

Lucrando com os Tubarões - Newton Linchen e Tarcísio PeresÉ raro encontrar um livro que traz uma visão realmente nova sobre o mercado financeiro e, em particular, sobre a bolsa de valores. Os livros disponíveis, em sua grande maioria, repetem informações que todo mundo assume como verdade. Por exemplo, “comprando ações você está financiando empresas”. O que é verdade somente se você compra ações na oferta inicial (IPO); se você compra no mercado secundário (bolsa), a grana vai para quem te vendeu as ações e não para a empresa.

É também raro aparecer alguém questionando os dogmas, mas fico muito feliz quando acontece. Neste livro, os autores trazem um olhar diferente sobre a bolsa de valores, fazendo uma análise de como os grandes se comportam e o que você pode aprender desse comportamento. Por exemplo, será que um grande “player” pode recomendar uma coisa a seus clientes, mas na realidade estar fazendo outra? E diversas outras “verdades” que de repente não são tão verdades assim quando vistas sob um olhar mais crítico.

Os autores mostram exemplos e análises muito bem embasadas, e todas as ideias que não são de autoria dos autores estão devidamente creditadas. A presença de uma bibliografia também deixa clara a seriedade dos autores, além de oferecer um ponto de partida àqueles que quiserem se aprofundar mais nos temas expostos.

Do lado negativo, o livro apresenta um ou outro erro de português [p. 49: “em 12% ouve (sic) menção ao envolvimento de agentes autônomos”] e um excesso desnecessário de termos em inglês, mesmo para palavras que têm palavras correspondentes em português de uso comum (“departamento de research”, “broker” etc.), tornando a leitura um pouco truncada.

De qualquer forma, é um excelente trabalho que certamente aumentará a sua educação financeira, especialmente se você investe em ações e está se perguntando o que mais há para se ler e aprender sobre o assunto.

Conclusão Final: Recomendado

Ficha Técnica

Título: Lucrando com os Tubarões
Autores: Newton Linchen e Tarcísio Peres
Editora: Novatec
Número de Páginas: 208
Ano de Lançamento: 2011
Link para comprar

Sonho Grande – Cristiane Correa

Sonho Grande - Cristiane Correa“Sonho Grande” conta a trajetória dos fundadores do Banco Garantia, Jorge Paulo Lemmann, Marcel Telles e Beto Sicupira, e como esses três brasileiros com o estilo “low profile” se tornaram bilionários.

Para quem não conhece o trio, eles compraram a Brahma em 1989 e, dez anos depois, a Antarctica, formando a Ambev. Depois, em 2004, venderam a Ambev para a belga Interbrew (dona da marca Stella Artois), que formaram a Inbev. Aos poucos, foram comprando ações da Inbev até que se tornaram sócios majoritários, e acabaram comprando a Anheuser-Busch, dona da marca Budweiser, formando a maior cervejaria do mundo (AB Inbev). Que recentemente comprou também a Modelo, cervejaria mexicana dona da marca Corona.

O trio é ainda dono da Burger King nos EUA (a Burger King dos EUA detém participação de apenas 30% na Burger King do Brasil) e da Heiz, tradicional marca de ketchup e condimentos. É muito interessante ver brasileiros comprando marcas americanas, já que quase todas grandes marcas tipicamente brasileiras como Brastemp (da Whirlpool), Kibon (da Unilever) e até o Guaraná Jesus (da Coca-Cola) pertencem a multinacionais estrangeiras.

Há muitos outros negócios que são relatados, alguns com mais detalhes do que outros. A aquisição e gestão das Lojas Americanas, por exemplo, é explicado em bastante detalhe. Porém, nem todos os negócios que o grupo já teve, em particular na época da GP Investimentos, são relatados, e apenas alguns dos negócios que deram errado são mencionados, sem a mesma ênfase que é dada aos negócios de sucesso. Como empreendedor, eu gostaria de ter lido mais sobre os fracassos do grupo, para aprender com eles.

O livro traz muitos detalhes da filosofia de gestão, de encarar a vida e de devolver à comunidade do trio.É uma leitura muito agradável que trará “insights” para empresários de todos os níveis, sendo uma leitura muito estimulante.

No lado negativo, detalhes financeiros mais minusciosos não são explicados ou, melhor dizendo, não são expostos de uma maneira mais didática. Por exemplo, a cada negócio do grupo, poderia haver uma ficha falando o quanto eles tiraram do bolso e quanto foi financiado, e por quem, e a que taxas de juros. Mas entendo que o objetivo é ser um livro jornalístico e não um livro texto. Sendo assim, o livro cumpre o seu objetivo.

O prefácio do livro, escrito por Jim Collins (autor de vários livros de negócios e amigo do grupo), resume o estilo do trio de forma didática, e só ele já vale o livro.

Em resumo, recomendado para empresários e empreendedores de todos os níveis, bem como para gestores de empresas.

Conclusão Final: Recomendado

Ficha Técnica

Título: Sonho Grande
Autor: Cristiane Correa
Editora: Primeira Pessoa
Número de Páginas: 264
Link para comprar

Crash – Alexandre Versignassi

crashUm livro escrito em linguagem muito bem humorada e coloquial, contando a história da economia e do dinheiro. O autor tem tiradas muito divertidas como a Babilônia “era a Nova York da época”. Ou então que a Segunda Guerra Púnica “foram outros 17 anos de quebra-pau”. Ou, ainda, “Menudo, Dip’n’Lick, tabela da SUNAB, overnight, Naji Nahas – mate a saudade das porcarias dos anos 80”. E por aí vai.

O livro faz um paralelo de acontecimentos da antiguidade com acontecimentos recentes. Cobre bolhas, hiperinflação, manias, especulação e muito mais, tanto antigas quanto recentes. Além, obviamente, explicar com maestria como a economia funciona.

Pena que, por ter sido publicado em 2011, esteja defasado em relação ao Eike Batista, muito embora na parte em que o autor explica sobre bolsa de valores, ele deixa bem claro que a fortuna dele era baseada em algo que simplesmente não existia.

Por causa da linguagem simples, em alguns momentos o autor corre em algumas incorreções, como fazer referência ao ano zero (que nunca existiu) e dizer que o sucesso do Plano Real foi devido à dolarização da economia (o sucesso se deveu à desindexação da economia, que o autor não explica).

Mas isso são detalhes de um perfeccionista como eu; o livro é fantástico e recomendo que todos leiam. É o guia mais interessante e divertido sobre economia que eu já li. Altamente recomendado, seja você um iniciante ou um veterano no assunto.

Conclusão Final: Recomendado

Ficha Técnica

Título: Crash: Uma breve história da economia – da Grécia antiga ao século XXI
Autor: Alexandre Versignassi
Editora: Leya
Número de Páginas: 320
Link para comprar