Como acabar com suas dívidas

Dicas gerais de como acabar com as suas dívidas.

1. Liste todas as suas dívidas, uma a uma, contendo valor devido, nome da instituição e taxas de juros mensais. Ordene pela taxa de juros, de forma decrescente. Inclua financiamentos de carro e imóveis, pois estes TAMBÉM são dívidas.

Exemplo:

R$ 10.000 – Cartão de crédito A – 11% a.m.
R$ 8.000 – Cheque especial banco B – 10% a.m.
R$ 20.000 – Saldo Devedor Carro Financeira C – 5% a.m.

2. Você deverá pagar as dívidas de maior taxa de juros primeiro. Se você não tiver dinheiro, você pode inclusive pegar um empréstimo a uma taxa de juros menor. No exemplo acima, se você for ao seu banco e descobrir que eles podem te fazer um empréstimo de R$ 10.000 a 4% a.m. (CDC, Crédito Direto ao Consumidor), é um ótimo negócio pegar esses R$ 10.000 e quitar a dívida do cartão e ficar com o mesmo valor de dívida, porém agora a uma taxa de juros inferior (você pagará menos pelo o empréstimo).

Assim como cheque especial, o cartão de crédito pode ser pago a qualquer momento, mas os bancos tornam difícil esse tipo de pagamento e inclusive não sao claros em informar essa possibilidade. Por exemplo, se o seu cartão vence no dia 30 e você levantou o dinheiro para quitar a dívida no dia 10, você não precisa esperar até o dia 30 para pagá-lo. Você pode pagar assim que possível e economizar nos juros, pois os juros são calculados proporcionalmente aos dias em que você ficou em dívida.

Outro detalhe: você também não precisa quitar integralmente o cartão, o cheque especial e imóveis, se sua dívida é de R$ 10.000 e você tem R$ 5.000 para quitar, você pode pagar esses R$ 5.000 o quanto antes e diminuir, assim seu custo com juros.

No caso de imóveis, é sempre boa prática ir pagando sempre que possível, mas é necessário contactar a instituição financeira primeiro. O processo é simples e sem muita burocracia, basta você dizer que quer fazer um pagamento adicional avulso contra o saldo devedor.

3. Você terá de controlar, com precisão de centavos, tudo o que você ganha e tudo o que você gasta. O problema é que a maioria das pessoas não faz esse tipo de controle, especialmente o de gastos. Tem que entrar tudo, inclusive R$ 1 de gorjeta, R$ 1 de esmola, R$ 1,50 de um cafezinho. Não é necessário usar programas sofisticados, o Excel dá conta, você deverá ter a data, valor, como pagou (dinheiro vivo, débito em conta, etc) e categoria (ex: alimentação, transporte, etc). Separe as planilhas por mês (uma separada para cada mês) e uma total para o ano, onde você transportará os totais mensais para ver suas ganhos e despesas anuais. Você verá que está gastando muito mais do que você achava. Você pode até mesmo fazer esse controle em papel. Eu mesmo carrego um pequeno pedaço de papel na minha carteira onde anoto essas despesas miúdas do dia a dia e quando chego em casa passo para a minha planilha.

4. Após o primeiro mês levantando essas despesas, analise e veja onde você pode economizar (por exemplo, organize a planilha por categoria e some o quanto você gastou em cada categoria). Você verá que possivelmente você está gastando dinheiro demais com besteira, ou melhor dizendo, com coisas que em um momento difícil, devem ser suspendidas até que a sua situação financeira se estabilize.

5. Veja como você pode aumentar suas receitas, como horas extras, bicos, uma atividade extra remunerada nos fins de semana, conseguir mais clientes, aumentar o quanto você cobra, etc.

Espero que essas dicas gerais ajudem, pois foi com esse plano que eu saí do buraco em que me encontrava até 2001.

Abraços,
Gabriel Torres